quarta-feira, 19 de março de 2008

PM responderá processo administrativo por apontar arma aos torcedores na confusão de domingo

Theodora Malacrida - Redação DS - Data do Artigo: 18/3/2008

http://www.diariodaserra.inf.br/showpolicial.asp?codigo=118469

O que deveria ser diversão e entretenimento para a população de Tangará da Serra, acabou virando uma confusão. O jogo entre o time que leva o nome do município, Sport Clube Tangará contra o Mixto de Cuiabá, no Estádio Municipal Mané Garrincha, quase se tornou uma tragédia na tarde deste último domingo.

Provocações trocadas por indivíduos de ambos os times, deram inicio à uma ´guerra´ entre policiais e torcedores. De acordo com testemunhas, os policiais tentando conter a confusão, começaram a jogar spray de pimenta, onde foram atingidas várias pessoas, inclusive mulheres e crianças e até mesmo um senhor que desmaiou tendo que ser socorrido. “Esse ato não é errado, pois o mesmo não causa nenhum dano à saúde, a não ser quem é alérgico, podendo apenas inchar o rosto, o spray de pimenta ele apenas irrita os olhos e nada mais é, que um álibi para tentar conter a violência no local”, explicou Major Judson da Policia Militar de Tangará da Serra.

Outro fato marcante durante a confusão, foi que um dos policiais, identificado pelo Major como o Soldado Tomaz, acabou apontando uma arma em direção à torcida, causando ainda mais medo e pânico nas pessoas. “É regra, arma letal jamais pode ser usada em um distúrbio civil como este que aconteceu no estádio. O indivíduo que apontou a arma já foi identificado sendo o Soldado Tomaz, e o mesmo responderá por esse ato de desordem e irresponsabilidade podendo pegar desde uma advertência até mesmo a exclusão da corporação”, frisou Major, relatando ainda que, alguns de seus homens também foram agredidos pelos torcedores em fúria com pedras. “O Soldado Da Silva foi agredido com pedrada e paulada e até mesmo a imprensa foi atingida pelos torcedores, ou seja, um erro não justifica o outro, o que não podemos é deixar que isso se transforme em uma guerra”, afirma.

O Major comenta que já foram encaminhadas ao Executivo, algumas sugestões com relação ao Estádio. “Para que em possíveis brigas, como a deste domingo, sejam inibidos a presença de objetos que possam vir a ferir alguém, como no caso as pedras, foi solicitado ao executivo que ao menos cubra as mesmas, com terra, de uma forma que não a pessoa não tenha como utilizá-la como uma arma, dentre outras reivindicações”, acentuou Major.

Para este jogo estavam presentes entre 12 a 15 homens da PM. Já para o próximo, Major Judson diz, que poerá solicitar a presença de mais reforços, por questão de segurança aos olhos da população , mas deixa claro, que o número de PM que constava no estádio domingo, é suficiente para o jogo de um clássico com mais de 50 mil torcedores.

Um comentário:

Marcio disse...

Muito legal o Blog, parabéns! Gostaria de convidá-los a lembrar de grandes esquadrões do futebol, e deixar o espaço aberto para se alguém quiser escrever algo a respeito.

http://fotolog.terra.com.br/retratonaparede

Abraços.