terça-feira, 31 de julho de 2007

Resposta da UTB ao comunicado à imprensa do CO-Rio do dia 30.07.07

UTB: Queremos nos concentrar em comentários sobre as declarações do CO-Rio sobre a participação do público no Pan 07 (veja: http://torcedoresbrasil.blogspot.com/2007/07/co-rio-faz-avaliao-sobre-realizao-do.html).

Ficou óbvio que a cidade do Rio não viveu em perfeita sintonia com os jogos, que os mesmos não deram visibilidade mundial ao Rio e que os 123 recordes pan-americanos batidos são um balanço esportivo pobre. Portanto, a avaliação do CO-Rio, de que o Pan Rio 2007 comprovou a capacidade do país realizar grandes eventos internacionais, é equivocada. Fato que está sendo reafirmado por colunistas no Globo, na Folha, JB e ESPN. Nem o presidente da ODEPA conseguiu lançar o Rio como candidato para uma olimpíada.

Mas vamos falar sobre o Pan do ponto de vista do torcedor, citando o comunicado à imprensa:

• Grande adesão popular às competições de rua
Além do CO-Rio ninguém viu essa adesão.

• Rio 2007 contribuiu para formar novo público p/esporte
Pode ser verdade. Na maioria dos eventos o CO-Rio conseguiu excluir a população de baixa renda. Portanto, se trocou o público pobre pelo público rico. A população de baixa renda só podia entrar para fazer quorum nos eventos menos procurados.

• Aprovação, pelo público, do conceito de “produção do esporte” – telões, música, animadores etc.
Os animadores são a morte da espontaneidade e criatividade da torcida. Contratá-los foi uma idéia muito infeliz. A atmosfera na maioria dos eventos foi bastante morna. Tanto que o site UOL, em uma seção de fotos, mostrou quase que apenas animadores, por falta de torcedores.
Telões são excelentes para informar o público, não só dentro do estádio, mas também fora, em praças, como a Praça das Medalhas em Copacabana. Mas este Pan foi caracterizado pela falta de telões.

Alguns exemplos:
- O telão no estádio do Baseball não funcionou por muitas rodadas, idem no Engenhão.
- No estádio de remo, a largada não foi visível, faltou um telão para mostrá-la. Situação parecida na vela, maratona e outros eventos gratuitos.
- O pátio do Riocentro virou uma espécie de coração do Pan. Ao redor dele acontecerem muitas vezes 4 ou 5 competições paralelamente. Mesmo assim, o espaço do pátio foi muito mal aproveitado. Teria sido possível disponibilizar uma oferta mais variada de itens alimentícios, cadeiras e um telão para poder acompanhar as outras modalidades, nos intervalos do esporte para o qual o torcedor possuía ingresso. Além disso, fez falta um sistema de telas menores com informações atualizadas dos resultados.
- Finalmente. Este conceito da praça com alimentação, diversão, sistema de informação e telões fora dos estádios e ginásios, como sugerido para o Riocentro e como pôde ser percebido na Praça das Medalhas, em Copacabana, se chamou Fan Fest na Copa da Alemanha em 2006. Estes Fan Fest fizeram muita falta no Pan 07. Poderiam ter sido colocados telões em vários pontos das praias da Barra, Leblon, Ipanema, Copacabana, Botafogo e Flamengo. Para incluir o chamado “povão” uma tela no piscinão de Ramos seria indispensável. A Cinelândia poderia ter se tornado um Fan Fest. Mas, nada disso aconteceu. Por isso não entendemos como é possível falar que houve adesão ao Pan, nas ruas do Rio. Ela de fato não ocorreu.
Estes Fan Fest poderiam ser usados para fazer publicidade do Rio no exterior, atraindo um maior número de turistas. Poderiam ter sido vendidas comida, souvenirs e outros produtos nos Fan Fests e, além disso, poderiam ter sido disponibilizadas tendas com informações sobre os países participantes, para garantir o acesso da população à informação, assim como viabilizando o contato entre diferentes culturas. Dessa forma, o Pan teria ganhado uma maior repercussão tanto fora quanto dentro da cidade.
É obvio, que o acesso para um Fan Fest precisa ser gratuito.
Ou seja, a “produção de esporte” não foi aprovada pelo público, porque a produção e, portanto, o público eram inexistentes.

• Público total: mais de 1,3 milhão de espectadores
Não é a verdade. Um espectador compra na média entre 4 e 5 ingressos para diferentes eventos, ou seja foram cerca de 300.000 espectadores. O outro lado dessa notícia é que 700.000 ingressos não foram vendidos!

– Nenhum incidente nas áreas de público
Só nas áreas VIP.

– Cumprimento das normas de segurança – áreas de escape livres
Imagina se não fosse assim!

– Operação de serviço ao espectador, com 3.438 orientadores com megafones, e eficiente controle e checagem de acessos
Teve filas, mas, apesar disso, funcionou bem. Os megafones foram uma boa idéia. Será que vai continuar?

– Operação de 26 bilheterias em 11 locais de competição e 1 na Vila
Os ingressos foram, além da venda de alimentos, a grande queixa dos torcedores (veja também: http://torcedoresbrasil.blogspot.com/2007/07/torcedor-reprova-ingressos-e-alimentao.html, http://torcedoresbrasil.blogspot.com/2007/07/ingressos-pan-vii.html, http://torcedoresbrasil.blogspot.com/2007/07/impasse-sobre-veto-de-alimentos.html, http://torcedoresbrasil.blogspot.com/2007/07/torcedor-o-filho-bastardo-da-famlia-pan.html). Certamente, nada louvável.

– Implantação de dois SACs adicionais em locais de grande afluxo de público – Maracanãzinho e Arena Multiuso
Deveriam existir SACs em todas as instalações.

– Total atendimentos nos SACs: 5.985 pessoas atendidas, sendo 56% para cancelamento c/ reembolso. Foram 3.395 ingressos devolvidos, o que representa 3% do total de ingressos vendidos (DADOS ATÉ O DIA 24/7).
Certamente não é um dado do qual devemos nos orgulhar.

– Total atendimento Fale Conosco: 104 mil contatos, sendo 75% para pedidos de informações.
O problema é que o “fale conosco” só viabilizava a comunicação via e-mail. Quem não tinha acesso à internet ficou de fora. Faltou um Disque Ajuda.

– Ouvidoria em todos os locais de competição
Era invisível. As placas só informavam o e-mail da ouvidoria.

PROGRAMA DE VOLUNTÁRIOS BEM SUCEDIDO
• Voluntários = papel fundamental na operação dos Jogos
• 15 mil voluntários + 6 mil voluntários no elenco das cerimônias
Não há a menor dúvida. Palmas para os voluntários. Eles fizeram o melhor que puderam sem ganhar nada. Isso certamente não é mérito do CO-Rio. Esperamos que o espírito de serviço e informação para o torcedor continue depois do Pan.

PERFEITA SINTONIA DOS JOGOS COM A CIDADE
• População aderiu à proposta do uso do transporte público para os locais de competição
Iria fazer o quê cara pálida? Não teve outra opção, porque estacionamentos eram inexistentes.
Havia a proposta de cinco novas linhas de metrô. Cadê essas linhas?

• Trânsito fluiu bem – os Jogos não provocaram transtornos na cidade
Graça a deus. Ninguém sabe como este milagre foi possível.

• Novo modelo de circulação e estacionamento de veículos no entorno das instalações esportivas
Engraçadíssimo: eles chamam a inexistência de estacionamentos de “novo modelo de circulação e estacionamento”!

• Projeto e estratégia de Segurança inéditos aplaudidos por todos, brasileiros e estrangeiros
Foi uma surpresa. Não se usou a PM dentro dos estádios, mas voluntários com qualificação em segurança. O sistema não é inédito, mas o mesmo usado nas competições de esporte na Europa. Os conceitos básicos dessa estratégica de segurança se chamam “low level policing” e “crowd management”. Eles consistem em funcionários de segurança privados com uniformes leves, que estão orientados em apoiar o torcedor e não reprimi-lo. A experiência desses conceitos no Brasil foi muito positiva e ficou evidente que ela funcionou. Esperamos que continue assim nos campeonatos nacionais.

Resumindo, esperamos que as experiências positivas nas áreas de atendimento, serviço, informação e segurança sejam aplicadas e melhoradas em campeonatos nacionais. Mas é preciso dizer que o serviço ao torcedor teve grandes falhas e necessita melhorar muito: faltaram os Fan Fests, venda de alimentos, uma venda de ingressos mais organizada, Disque Ajuda, transporte público e estacionamentos. Aliás, o CO-Rio nem cita o seu guia do espectador (nem se sabe a tiragem). O guia foi muito bom, mas lamentavelmente só publicado muito tarde e mal distribuído. A maioria desses guias vai acabar no lixo. Uma pena.

http://torcedoresbrasil.blogspot.com/2007/07/torcedor-reprova-ingressos-e-alimentao.html

2 comentários:

Anônimo disse...

Excelente post!!!

Paulo Rená disse...

O Juka Kifouri e o Trajano precisam ler isso...